quarta-feira, 11 de junho de 2008

Por partes...


Vários dias sem postar, recheados de comentários diversos em blogs de amigos. Muita coisa acontecendo ao-mesmo-tempo-agora. Por isso vou postar aos poucos...

Retrocedendo ao sábado passado, emoção imensa na estréia da Canção de Assis. Gilberto como sempre me surpreendendo, me deixou engasgada no camarim antes do espetáculo começar, referindo-se ao meu post anterior aqui no blog. Queria ter lido ele para o elenco, mas não teve tempo de imprimir. Graças a Deus... não sei se eu entraria inteira em cena se ele lêsse... Mas entrei, entramos, o filho nasceu. Apesar do nervosismo, belo. Como uma canção tem que ser. E veio do coração. Que energia boa. Obrigada mais uma vez por este momento, cancioneiros!

E então o domingo... Para alguns lindo, pra mim revoltante. Já no sábado à noite, quase cancelamos Rainha do Lar por causa da chuva.

Chuva? - Alguns dirão. - Mas é teatro de rua?

Quase. Parece os shows do Araújo Vianna da década de 80/90. Lembro-me de um show destes - do século passado - onde a divulgação era uma música cuja letra dizia algo assim "Só não sai se chover êo, êo, só não sai mesmo se alguém morrer..."

Explico. Estou em cartaz na Sala Álvaro Moreyra, que fica no Centro Municipal de Cultura onde fica também o Teatro Renascença. Pois bem. Quando chove, chove DENTRO do Renascença, no foyeur do teatro, no saguão do prédio e a orientação recebida foi de que, por motivos de segurança, não seriam abertos os teatros. As infiltrações nos mesmos poderiam - em último caso - gerar até uma pane elétrica. Resultado: Cancelaram a adulta e a infantil daquele dia. No sábado só rolou apresentação na Álvaro porque a chuva foi parando e o "perigo" foi afastado.

Fico revoltada. Faço teatro há 22 anos em Porto Alegre e sinceramente já perdi a conta de há quantos anos eu ouço a frase " não teve espetáculo no Renascença porque o palco inundou"!!!

Gente! O que é isso? Onde estamos? E as reformas previstas? E nós que não nos mobilizamos?

E quando digo nós, não me refiro somente aos artistas, que a princípio são os diretamente prejudicados com esta situação. O "nós" em questão é qualquer uma pessoa que pague impostos, que é eleitor. Nós pagamos por isto que não acontece. Pelas promessas descumpridas. Nosso dinheiro deveria ser investido nisso também. Além das outras tantas coisas ditas mais fundamentais que cultura, e que também não recebem incentivo algum.

É por isso revoltante. É non-sense demais... Desde quando um ator tem que torcer para não chover no fim-de-semana para fazer o seu trabalho NUMA SALA DE ESPETÁCULO FECHADA?

Humpf... Como sempre acabamos apelando ao divino... com licença vou tentar conseguir linha direta com São Pedro. Outros assuntos em outro post... Este ficou muito carregado pela incompetência da administração pública.

2 comentários:

Gise disse...

Querida!!!!!!!!
Vim te retribuir a visita (confesso q já andei por aki, mas nunca comentei, hehehe).
Chego e me deparo com este post, em q tu ESTÁS COBERTA DE RAZÃO!!!!
Mas te dou uma excelente notícia: as obras começarão dia 16 agora!!!
Mesmo com a torcida contra de muitos (sim, já começou a campanha política), que adoraram qdo a reforma foi cancelada da primeira vez, desta vez a coisa vai! Graças à competência de vários funcionários envolvidos na SMC e nas outras Secretarias da PMPA!!!!
Existem, sim, servidores capazes e competentes!!!
Não queria citar nomes pra não ser parcial, mas uma pessoa merece destaque enorme, com estrelas piscando: IZABEL IBIAS! Se esta não fosse quem é e fizesse o que faz... Sei não, violão!!!!!!

Grande beijo. Já te linkei lá no meu blog!!!!

Daiane Oliveira disse...

Palmas pra izabel... q sem dúvidas é a melhor dentro do centro municipal!