sábado, 23 de agosto de 2008

Os "nóses"...


O plural de nó? É nós... mas deveria ser nóses, segundo o dicionário pessoal desta loira. Principalmente quando são muuuitos nós.

Estou falando de desatar os nós. Os nóses. Hm, minha parte insana (ou seja quase meus cem por cento) repete a palavra para entender sua sonoridade e traça uma relação sonora com osmose... Faz algum sentido na minha desvairada lógica.

Pois bem... Meu momento agora tem sido de uma necessidade absurda (absurda???) de desatar os nós.

Todos eles. Em outras palavras, simplificar o que insiste em querer complicar-se. Incrivelmente, em meio ao caos, tenho absorvido lições para um equilíbrio desejado.

Percebo que na real eu sempre fui um pouco assim, me equilibro muito no meio das tempestades. É claro, tudo tem suas exceções... mas não é o caso agora. Neste "momento-já", como diria Clarice Lispector, "sou-me".

E procuro-me e tenho a certeza que estou num caminho certo. De descobertas e percepções. De buscas de harmonia e de abrir as portas para as loucuras necessárias para uma realidade criativa e prazerosa. Pessoas são um rosário riquíssimo de cores diversas. E quero rezá-las todas.

Papo de louco? Disse tudo mas não disse nada?

Talvez seja um ataque de loba atrasado, vai saber, rsss. Ou talvez seja apenas mais um resultado da estranheza insólita de transformar cruamente os pensamentos em palavras.

Para mim faz sentido.

E pra você?

Bom dia ensolarado a todos!

Um comentário:

Daiane Oliveira disse...

atualizaaaa, loira!

muá!!!