terça-feira, 14 de outubro de 2008

Soltar-se... Eu insisto.


Frente ao PC, olho o teclado, reflito...
Montanhas , turbilhões, avalanches de pensamentos me invadem e tão pouca coisa consigo colocar pra fora.
Compreender-se ou pelo menos procurar fazê-lo é assim mesmo. Observar, decifrar e estabelecer paralelos.
O resultado é muitas vezes confuso como este “isto” que começo a escrever.
Percebo-me.
O que anda acontecendo?
Tento diagnosticar se as coisas tem ido para frente ou para trás.
Pausa. Cara franzida de quem tenta entender, seguida de um “hmmm” interno.
As coisas? Que coisas? As minhas coisas meu bem.
Porque é importante eu me lembrar sempre que no meio de todas as coisas estão as minhas coisas. Bem no meio. O que me rodeia só me rodeia porque eu semeei algo.
Assim como te semeio, te cuido e te acompanho. Ou as coisas não são assim? E não serão?
Pausa. Necessária.

De volta. Avalanches.

Reconstruir-se implica em soltar as amarras para reorganiza-las para o teu bem.
Me reciclo. Me desgoverno. Me transmuto em pensamentos, sensações sentimentos.
A vida é sonho. Ou deveria ser para que melhor fosse digerida.
Inundada de confusas ilusões e resoluções mirabolantes ou fantasiosos desenlaces, nossos enredos talvez tivessem mais poesia.
Ou talvez seja esse apenas um pensamento covarde de quem não tem coragem de enfrentar realidades por outro prisma senão o do lamento de não serem da maneira sonhada. Talvez.

Difícil mas prazerosa esta tarefa de ser o analista e o analisado. Doem certas deduções, porém novas descobertas me enchem de esperanças. Perceber a transposição de barreiras, desbravar novos caminhos. Amedronta e ao mesmo tempo encoraja.

Tenho vivido momentos de suprema poesia, de encantamento num embriagar de sonhos. Idéias e ideais se formando e se alimentando de esperanças. Sonhar é preciso. Lutar também. Aprender com as outras vidas que vale a pena arriscar pelos efêmeros.

Aprender. Apreender. Aprender-te.

(Suspiro) aiai... (sorriso).

Um comentário:

petit disse...

vejo um "novo"ao te ler...
feliz pelo teu sorriso