quinta-feira, 26 de março de 2009

Um clic.

... É, é isso.
Turbilhão de muitas coisas acontecendo sempre ao-mesmo-tempo-agora.
E ela aprende.
Observa. Reflete. Apreende.
Guarda na sua caixinha de assuntos diversos para refletir depois.
Depois é sempre quando ela menos espera.
E rouba de uma menina cheia de flores um certo jeito de escrever.
Talvez porque facilite escrever na terceira pessoa.
Talvez porque imaginar a expressão de uma terceira pessoa encha a sala de mais pessoas.
E fique mais parecido com uma festa, um encontro, e torne tudo mais leve.
Tristeza? Não. Não é pra tanto mesmo.
Pequenas partículas de crescimento ao que parece.
Mas por favor, não espalhe muito isso por aí por que ela me confessou que tem vergonha de crescer.
Ah, bobagem - você pode dizer.
Mas ela não acha bobagem. É que crescer dói. E talvez se ela crescer sem se dar conta, pode viver a ilusão de que foi sem querer, simplesmente aconteceu.
É certo que dói, mas é certo também que tem alguns "cresceres" que envaidecem, no melhor dos sentidos, não naquele da vaidade besta. No sentido do orgulho bom, sabe? Daqueles que enche-se o peito pra dizer "eu que fiz".
Então por favor, que tudo isso fique entre nós...
Neste sussurro... neste instante... e não faça movimentos bruscos, porque ela está meio concentrada e atrapalhada com tantos e tão emaranhados caminhos que - de repente - atropelaram seu trajeto.
E decidir assusta. Cumprir também. Mas é muito bom quando se acerta.
O quê? (riso) Pode sim. Vai lá, mas com carinho! Pode desejar boa sorte sim. Ela vai gostar.
E reza. É, pra que tudo se resolva.
Ela vai gostar de sentir que tem boas energias conspirando pro bem dela.

Beijo.
Te ligo sim.
Clic.

2 comentários:

petit disse...

ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh

mua sabe

Melissa disse...

Boa sorte (com carinho e sem movimentos bruscos, que é pra não atrapalhar a concentração da moça :} )!


beijosestouesperandoaligação, hehehe